A minha primeira vez - área de serviço Alcochete - Contos eróticos Gay

Sem categoria
1313 visualizações
A minha primeira vez - área de serviço Alcochete - Contos eróticos Gay

Esta história passou-se no feriado de 08 de Dezembro de 2011 (por volta das 20:00). Já tinha feito várias incursões em diversos locais, para tentar por avante a minha vontade e desejo de estar com um homem. Não interessava ser passivo ou mais activo. Procurava uma aventura interessante…fundamentalmente segura (?!) e limpa (?!!).

Bem, nesse dia, com o mesmo intuito, fui à estações serviço (ES) da ponte Vasco da Gama (sentido sul norte)… as ES parecem ter qualquer coisa do tipo: dá para ver que quem aqui pára (como eu) vem em busca de uma aventura sexual! Tive sempre uma atracção por este tipo de locais, mas nunca fui capaz, apesar e já ter tido oportunidade (como é natural nestes locais) de estar com outro homem para a prática de sexo…

Nessa tarde, saía do wc (nem fico muito tempo lá dentro) e, por sorte, não encontrava o meu telemóvel e tive que ficar ali (dentro do carro) parado mais tempo. Entretanto, parou um carro e um homem (aparentava ter uma idade próxima da minha) dirige-se ao wc fitando-me com o seu olhar! Eu fico sempre na dúvida se estes olhares são do tipo “ ora aqui está mais um que quer uma aventura” ou se, como foi o acaso! No seu regresso para o carro, ainda eu procurava o meu tm , olhei para ele que agora olhava fixamente (do interior do seu carro) para mim! Tomei a decisão de que desta vez iria tentar levar o meu desejo até ao fim. Liguei o carro e, quando passei por ele, fiz-lhe sinais de luzes e segui…ele veio atrás de mim e eu parei no parque próximo do restaurante, ele estacionou ao meu lado. eu saí do meu carro e dirigi-me para o carro dele (nervos com fartura), abro a porto e pergunto-lhe de que gosta? De ser mamado, responde! Fiquei ainda mais excitado, o tipo era bem fixe…e baixou o banco e eu abri-lhe as calças e agarrei naquele caralho bem BOM! Inclinei-me e comecei a lamber bem devagar, estava muito excitado – ele também pela quantidade de líquido salgado que saía da cabeça, tão bom!

Acariciei aquele pau vezes e vezes com a língua e tentei por várias vezes mete-lo até ao fundo (agora entendo porquê que as mulheres resistem à pressão na cabeça eh eh eh). Beijei-lhe a barriga e acariciei-lhe os mamilos. Ele tentava meter a mão no meu rabinho, de cada vez que o mamava. Nisto, e porque o local não era o mais apropriado – circulava gente, provavelmente com curiosidade – fomos para outro local. Eu só queria satisfazer a minha fantasia de poder fazer uma valente mamada! e ali esta eu com um tipo todo bom a ver o meu desejo tornar-se realidade! Por ser a primeira experiência, senti que não estava à vontade, parecia que estava em piloto automático (isto é uma nota para os virgens) e alguma coisa me esta a impedir de tirar o máximo prazer da situação e, fundamentalmente da companhia. Ele tinha um ligeiro hálito quente a álcool…! Perguntei-lhe se tinha bebido e se estava bem para conduzir, respondeu que sim, mas estava nitidamente muito nervoso – tanto ou mais que eu – e perguntei-lhe se já tinha tido outras experiências, respondeu que sim, referi que era a minha primeira vez!

Julgo que não ficou convencido disso… identificamo-nos com os nossos nomes, eu disse-lhe o meu (por ser a primeira vez e porque ele me disse ser de longe, achei que podia dizer-lhe como me chamava). O tipo era bastante sensível, porque ficava mais excitado quando eu lhe acariciava as mãos – hábitos de estar e ter apenas experiências com mulheres, ou será preconceito? Para mim o sexo tem que ter muita sensibilidade que se deve manifestar nas nossas acções para com o outro. Nisto, ele perguntou-me se tinha ou conhecia algum lugar onde pudesse-mos estar mais à vontade. Eu estava verdadeiramente nervoso, não me ocorria nada!!! Ainda pensei na possibilidade de irmos até próximo do Trancao mas, achei que não valia à pena! Por alguma razão achei que ele não estava a curtir tanto como eu. Na verdade eu até tinha vontade de o beijar de poder mandar uma granda foda numa cama acolhedora.

Ele fez novamente referência a um lugar mais recatado, não estava muito à vontade. Disse-lhe para regressarmos ao local junto ao restaurante – lá era bastante mais escuro - voltámos às carícias sexuais, agora ele estava ainda mais excitado, e eu só pensava como é que tinha ido ali parar?! Agarrei-lhe a mão e comecei a acaricia-lo, por alguma razão precisava de sentir que ele estava a gostar ou pelo menos que não estava a fazer frete! Decidi pôr fim à sessão, dizendo-lhe que tinha de me ir embora – não houve leite, portanto – ele não manifestou qualquer desejo para que eu não me fosse embora. Dei-lhe o meu endereço electrónico (ó virgens, é o telemóvel e não o endereço, ok?) que por ser um bocado difícil pareceu-me que ele não tomou nota, ou então nestas coisas, é fazer e adeus! Despedimo-nos com um aperto de mão forte, fui para o meu carro e acendi um cigarro…só me apetecia voltar para o carro dele e começar tudo de novo, agora mais experiente. Regressei e reparei que estava impregnado com o cheiro do meu amante, era um aroma muito suave (o meu é boss) e que me agradava bastante. Bem, levei mais de duas semanas a pensar no tipo, à espera de um e-mail, até que habituei à ideia que não o voltava a ver! Enfim, para mim foi uma BELA experiência e aventura. Se repetia? Talvez!!!

Comentários

Nenhum comentário foi adicionado nesta publicação

Adicionar novo comentário

Você deve estar logado para adicionar um novo comentário. Faça login
Queres inserir um anuncio? Criar uma conta
Utilizador não logado
Olá wave
Bem-vindo! Entrar ou registrar-se